quinta-feira, 11 de novembro de 2010

CONVULSÃO.

Naquela noite ela não dormiu. Os momentos tinham sido lindos, inesquecíveis, únicos. Aquelas palavras não eram as que conhecia pois soavam como melodia em seus olhos, seus ouvidos. Eram diferentes de um texto, uma crônica ou poesia. Aquelas palavras foram escritas para ela, só para ela e por isso não admitia a hipótese do seu texto ser do conhecimento de mais alguém. Sonhava com o escritor, não via a hora de acessar a Internet para ver as mensagens que chegavam e que eram como convites à felicidade, ao amor. Uma tempestade, porém, desabou sobre o seu mundo quando soube que outras mulheres se encantavam com o que ele dizia e que a única diferença entre um e outro era a forma de compor as frases. O encanto, porém, era o mesmo. O alvo também era o mesmo e na ponta do dardo, o mesmo veneno. Chorou muito e novamente não dormiu naquela noite e em outras mais. Jurou apagar de sua vida essas lembranças. Prometeu ao seu amor próprio a dignidade do esquecimento. Tudo em vão. Outras mensagens vieram e com elas a certeza de que tudo mudara e que as novas poesias seriam dela, só dela. Isto fez com que desabrochassem as flores, cantar os passarinhos e a brisa fresca na anunciação da chuva lamber-lhe o rosto. Esta certeza clareou o seu sorriso, encantou-lhe o semblante, e o coração acelerado batucou forte no peito esperançoso. Falaram-se por via imediata e a emoção se fez em toda a sua plenitude. Ela despiu-se de suas roupas que cobriam a vergonha e o pudor de sua criação. Fez-se em pelo e cerrou os olhos. Movimentava pelo seu corpo as mãos longas e macias num carinho solitário. Murmurava o nome dele entre um e outro movimento feito por seus dedos que passeavam por entre as curvas do seu corpo em lugares que nem ela se lembrava possuir. Reclamou no transe os beijos que não tinha e o calor do corpo que não jazia ao lado dela. Mordiscava os lábios resmungando, às vezes ria alto, tremia numa incontida convulsão para explodir no gozo que sofria.
Postado ao longe, como que sentado ao gargarejo de um drama teatral em cuja trama saciava-lhe o gemido que esvaia um orgasmo paralelo aquele que ele via, que ele sabia porque era responsável pelo bem e pelo mal que ele fazia.

silvioafonso

13 comentários:

  1. Um brinde de licor que marula
    que tomo agora bem devagar!
    Tim tim!
    a esse texto
    que enche os olhos
    de lágrimas,
    o peito de emoção
    e a respiração de puro
    descompassar
    "Conjunto perfeito
    pro certo efeito
    do gosto satisfeito."
    entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  2. Perfeito! Fiquei sem a resposta de saber qual é maior: o bem ou o mal. Não que isso mude alguma coisa...

    Abraços querido amigo palhaço que admiro mais a cada dia.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia
    Poderá sempre seguir este meu cantinho,não tenho tido muito tempo para ele, sempre que puder espreitarei o seu! há algo de misterioso no seu blog, ainda não o entendi...vou ter que o ler com mais atenção e tentar entender o blog e claro conhecer mais o dono.

    :)

    ResponderExcluir
  4. ...quantas formas há para
    o prazer para a paixão,
    para o saciar dos desejos
    à dois!!

    a imaginação é farta,
    generosa, criativa,
    deliciosa sem se dar
    conta que falta o calor,
    o toque, o gosto, a pele,
    os poros a exalar o que
    ficou do amor!


    estava com saudades de
    te ler!

    bj, poeta!

    ResponderExcluir
  5. Silvio, adorei sua mensagem em meu blog "Do vinil para a web", obrigada!

    Você me questionou sobre direitos autorais. Na verdade, grande parte das coisas que estão nele são isentas dos direitos autorais devido à idade delas. Outras não, mas coloquei-as mesmo assim dada à dificuldade de se encontrar os materiais, como os vinis das novelas Carrossel e Chispita.

    Seu blog é ótimo! Convido você para conhecer meu outro blog, que é o que eu atualizo mais frequentemente:
    www.ofilmequeviontem.blogspot.com

    Abraços e até logo
    Dani

    ResponderExcluir
  6. LEGAL TEU BLOG... TO SEGUINDO.. SEGUE-ME
    LUCRE COM SEU BLOG:
    www.psdesigner.com.br/revendedores.php

    CADASTRANDO-SE NO SISTEMA, SEU BLOG É
    DIVULGADO AQUI!
    www.psdesigner.com.br/blogs.php

    SIGA-NOS:
    www.psddesigner.blogspot.com
    OBRIGADO....

    ResponderExcluir
  7. Olá, Silvio!
    Convite aceito e obrigada por prestigiar meu blog. Não sou uma escritora como você, mas busco assuntos relacionados a educação e a psicologia infantil na vasta internet.
    Muito lindo este teu post.
    Um abração

    ResponderExcluir
  8. Oi Silvio,
    Vim aqui agradecer o seu comentário em meu blog e encontro outro texto maravilhos. Parabéns mais uma vez.
    Bjkas e uma semana maravilhosa para vc.

    http://gostodistonew.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Obrigada pela visitinha no meu blog , beijinhos simara

    ResponderExcluir
  10. Olá amigo,
    concordo em gênero, número e grau com as palavras da Vivian...A nossa imaginacao é farta e generosa, na impossibilidade de realizacoes concretas..
    Beijos, um feliz dia, e obrigada pelo carinho em meu blog!

    ResponderExcluir
  11. Quando escreves é lindamente expressivo!Bjos

    ResponderExcluir
  12. É INCRIVEL COMO AS HISTÓRIAS SE REPETEM...TALVEZ NÃO, COM O MESMO FINAL DADO AQUI. MÁS COM A SOLIDÃO DEIXADA POR QUEM AGE ASSIM. ENTRANDO NA CONFIANÇA DE UMA ALMA SOLITÁRIA, E BRINCANDO DE ENCANTAR. TALVEZ NEM SAIBA, A QUANTAS LAGRIMAS FEZ ROLAR. DESCULPE...ESTOU NOSTÁLGICA.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.