terça-feira, 28 de setembro de 2010

É PRIMAVEEEERA...

Às seis horas do primeiro sábado da primavera, ele, a moça dos olhos da cor da mata e a criança de todas as perguntas, deixaram a sua cidade e, serra abaixo partiram buscando à cidade que, para cada praia existe um sol para cada um. Buscavam pela vista que muitos não vivem ser ter. Observavam a maneira agradável com que os cariocas, de sotaque cantado e corpo gingado, recebiam os que ali chegavam, assim como se encantavam com as moças de pele da cor do bronze que, seminuas, saiam do mar. A gentileza e a simpatia com que eram olhados marcavam na vida de cada um dos que ali chegavam como o primeiro dia de muitos que pintaria a felicidade na vida de cada pessoa que migrava à cidade do mar e das montanhas, da água de coco e da cerveja gelada ao longo das salgadas marolas a beira mar. Rio de Janeiro, cidade maravilhosa onde eu nasci moleque, cresci rebelde e cidadão me formei para fugir à serra em busca do colo da mulher que eu tenho, amo e quero como parte do que mereço.



silvioafonso.

7 comentários:

  1. gostei muito, viu? Não só do texto como do blog todo! Já te segui, obrigada por me seguir também!

    beeijo

    www.fleur-du-matin.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Lembrou-me Cláudio Fontana falando das belezas de São Luis, ilha do amor. Confesso que tenho um certo "pré conceito" em relação ao Rio, e sei que estou errado.

    Terra de tantos amores, não é surpresa que seja maravilhosa. Parabéns poeta.

    ResponderExcluir
  3. que bela forma de escrever.
    Que magia ao ler seu escrito.
    Meu voto de muitas alegrias e amor com carinho e adimiração

    ResponderExcluir
  4. Que bela maneira de falar de nós conterrâneo, eu que ando tão decepcionada com os cariocas...
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. E é primaveraaaaaaaaa !!!!!
    Mil beijocas !!!!

    ResponderExcluir
  6. Que lindo!!!!
    Tudo aqui comove!!
    Chega a pulsar corações mais fortemente...
    Vir aqui é como se nossas almas encontrassem a vitamina certa...
    Escrever é colocar a alma, no exterior, para que ela possa respirar , inspirar e se recolher novamente, deixando sutil encanto aos que se aproximaram dela...
    Adorei, Silvio!!!

    ResponderExcluir
  7. Caramba, Poeta, eu também falei de primavera no meu blog.

    Parabéns, amigo. Aqui em minha cidade a coisa é bem mais modesta, não temos mar, não é uma cidade turística... mas existem belezas únicas.

    Abraço: Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.