terça-feira, 3 de agosto de 2010

ASSIM NASCE O AMOR...

O amigo de minha filha, um moreninho jeitoso, tomou todas as suas coisas, colocou em um caminhão baú deu um aceno e foi embora. Mudou-se para um bairro distante de nossa rua e desde o dia em que partiu o tempo se fez sem cor. O sol não brilhou com a mesma intensidade assim como os passarinhos deixaram de sair em revoada e a cascata calou seu canto e se trancou num canto pra chorar. O jovem jeitoso deixou no peito dela um vazio imenso, do tamanho do vazio entre as águas do mar vermelho, separadas por Moisés. Amor de criança, amor de esperança.
Quando a menina chora a ausência do amigo que também sente o vazio de sua presença cria no peito deste anjo de oito anos uma ferida que dói e não sara. Cicatriz que carregará por toda a existência e quando adulta, a melhor de todas as lembranças.
Lágrimas de saudade, recordação do primeiro amor, do verdadeiro e puro amor de uma criança.
silvioafonso

7 comentários:

  1. O primeiro amor pode nao ser o melhor, ou o verdadeiro, mas certamente é o que deixa as maiores marcas.

    ResponderExcluir
  2. Nossa...parece que vc escreveu minha história de infância...só muda a idade pois eu tinha 9 anos....mas foi exatamente isso que aconteceu...meu amigo tão especial, mudou de cidade...e minha vida naquele momento ficou cinca...me lembro hj com clareza dos planos que fizemos na época de fugirmos juntos por uns dias para que desistissem da mudança....rsrsrs...nós reencontramos a 6 anos atrás pela internet...foi muito legal...e hj nossos filhos é que escutam essa história...
    Amor de criança é para a vida toda...
    Lindo meu amigo...saudades imensas de vc...
    tá muito sumido...linda noite...bjs...

    ResponderExcluir
  3. Lindo,maravilhosos...amei amigo.
    Amizades....
    São feitas de Pedacinhos.
    Pedacinhos de tempo
    que vivemos com cada Pessoa...
    lindo dia com bjos.

    ResponderExcluir
  4. que lindo oque escreveste..
    o primeiro amor, é mesmo muito lindo de viver.
    uma ótima quarta-feira pra vc
    com carinho GUI.

    ResponderExcluir
  5. Interesante seu post...
    ele fala de algo tão puro,nada é mais puro que o primeiro amor...
    lembro do meu...
    e minha familia era a que mudava...
    ele 23 anos...nem me via
    mas eu encantada
    com ele sonhava e suspirava...
    escrevia tantos poemas..
    pena que os tenha quiamado quando fiquei noiva aos 19 anos...que estupida...
    engraçado que ele foi meu primeiro grande amor e seu irmão de 15 como eu...meu primeiro beijo quase que roubado...
    Carlos nadeira e Ademir Bandeira...juntos com suas 2 irmãs
    me deram meu primeiro livro:As 3 Marias...iamos nos mudar sem 2 semans apos meus 15 anos,escreveram ,na verdade a letra era do Carlos , mas ficou assim na dedicatoria:
    Catia, esse não fim de uma historia,mas sim o marco de uma parada.Familia Bandeira.
    Deus q lindo!
    Soube do carlos muitos anos depois,ja casada ele morava em SP.
    Mas essa frase me serve e te dedico.
    Nada é como tudo que dor o primeiro na nossa vida.
    Com carinho entendo sua filha, sua dor ...
    Mas vai passar...
    somente não será esquecido nunca, pelo contrario.
    Veja eu 47 anos e aqui com vc e seus leitores
    re
    lem
    bran
    dan
    do...
    Como diz Clarice: Sentia sua falta comos se lhe tivesee dsido arrancado um dente da frente...
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  6. No momento que a ferida é aberta, a gente só pensa em como fazer para de doer. O arco íris desbota as flores não cheira, o doce fica amargo e os olhos ficam sensíveis por qualquer poeira. Mas o bendito tempo cura de um jeito bonito, ali só as lembranças tonificam. E um dia... Lembra-se sorrindo da dor, que ontem salgava.
    E o primiero amor é como um leve tocar de brisa, acaricia com profundidade a inocência da alma.
    Digo isso pelas lembranças que guardo do orfanato em que vivi por seis anos, antes de fugir pro mundo. Mas as minhas lembranças são pesadelos hehehe...
    Hoje com quase 17 anos que completarei em setembro no dia 1. Vejo que tudo tem uma razão de ser.
    Belo texto Silvio.
    Um abraço.
    Fernanda.

    ResponderExcluir
  7. Ainda por aqui...
    Parabéns, poeta, pela sensibilidade!
    Vou seguir vc! Não, isto não é uma ameaça... rs...
    Bj!

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.