segunda-feira, 5 de julho de 2010

TRIBUTO A CATIAHO

Depois de tomar conhecimento que uma linda escritora atuante do seu Blog resolveu protagonizar o longa-metragem que conta a história do seu sucesso eu respiro, tomo o tempo que comprovadamente é pouco, armo-me de cavalete, pincéis e poucas tintas e pinto o quadro da minha vida. Sou filho de um casal que se dividia entre as artes; minha mãe amava o belo e o meu pai a perfeição, por anos dividiram entre eles um amor de fantasia, de contos de fada com herói, mas sem covarde, com mocinha sem bandido. Dois anos mais tarde bate o gongo e eles saem para o primeiro round de uma luta pelo primeiro filho. Deu menina na primeira de muitas tentativas. Outros rounds antecederam o meu sendo que para cada um novo outra menina rompia a fita de chegada. Meu pai quis desistir do embate, jogar a toalha, porém a minha mãe que não ganhava a luta, mas perdê-la não sabia, tratou de inspirar o cavalheiro de todos os gestos e de todas as palavras. Reanimou nele o músculo da vaidade que ora fraquejava para dar, ela mesma, o golpe de misericórdia e num nocaute fulminante eu nasci e acabei com o adorável sofrimento. Choro forte, riso farto, beijos e abraços com sangue pintando a cena. Entre os dois o amor, o amor que sangrava o sangue de cada um. O sangue de todos nós, possível vencido e possíveis vencedores. Cinco pares de peitos, cinco duplas de pernas femininas. Um homem ditando amor e u'a mulher com o nome de Maria. Tratamento igual para menino e meninaS. Estudar para andar com os próprios pés sem a necessidade de olhar por onde anda era a ordem para depois serem, como foram, professores do primeiro grau, do segundo e depois, da Pós, do mestrado, professores da universidade onde estudaram. Família respeitada por quem a conhecia, mas o tempo, aquele tempo, lembra? Pois é. Covarde como é levou o meu pai. O pai nosso, o pai de todos e nós, voando como voam as andorinhas vimos o pai voar de uma vida de pouco tempo para outras de eterna melancolia. Em cada palavra que dizemos o meu pai está presente. Em cada gesto, em cada riso o riso gesticulado de um cara que amou a mesma mulher como que fosse ela a única, a Eva do paraíso, e ela, novamente virgem depois que ele partiu.
Eu tenho orgulho quando lembro do amor dos meus velhos. Ele era lindo e a beleza desse amor fazia feliz o casal que não abria mão do pagamento de suas dívidas, de desculpar-se pelo atraso de algumas promessas e do meu pai esquecendo-se de algumas datas que muito me fazia rir. Tenho vergonha, como dizia, de não ser, depois de tentar sem esmorecer, a metade de tudo que o meu pai foi com a doçura de sua presença. Infelizmente a morte burra levou quem não devia, mesmo tendo deixado a mulher, mãe de todos nós, como consolo eu não desculpo o ciclo da vida.
Enfim, como só morre quem é esquecido, o meu pai vive comigo, aqui, no lado esquerdo do meu peito e nos meus pensamentos onde o seu nome pulsa forte, como as cores desta tela.

silvioafonso

7 comentários:

  1. Sílvio,


    Belo Tributo a Catiaho!

    É extremante forte a relação familiar,é divino esse elo!


    Belo texto poético!


    Um abraço, Marluce

    ResponderExcluir
  2. Verdade!
    So morre realmente aquilo q é esquecido.
    Meu saudoso e guerreiro pai
    tbm vive em mim, especialmente qdo noto no espelho, e tbm na forma cm encaro o mundo - semelhanças ou traços q herdei. Então deixo o sorriso como reticência.

    abço
    =)

    ResponderExcluir
  3. Passando p te ler!!! Adoro!!!
    Mil beijos e boa semana !!!!!

    ResponderExcluir
  4. Não sei o que dizer, tambem se soubesce, não teria palavras. Um grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Meu maravilhoso Palhaço Poeta,

    Tem Selo pra você em meu blog! Espero que goste, pois admiro muito o que escreve.

    BEIJO!!!!

    ResponderExcluir
  6. Sílvio,

    Tenha mais fé na VIDA e em SI MESMO e sobretudo mais fé nas pessoas... nem todos mentem, nem todos querem mentir, nem todos que dizem que gostam de você e do que escreve estão mentindo... ao contrário, estão sendo bastante sinceros.

    BOA TARDE!!! PAZ e LUZ SEMPRE!!!!

    BEIJO!

    ResponderExcluir
  7. NÃO FUI CONVIDADA , MAS ASSIM MESMO, QUERO MUITO AINDA CONHECER MAIS PROFUNDAMENTE O SEU BLOG...SE ME DER LICENÇA , CLARO!!!
    UM TANTO QUANTO ATRASADA, VENHO AGRADECER SUA VISITA PELO MEU PEDACINHO DE SONHO...OBRIGADA... VOLTE SEMPRE QUE QUISER....
    GRANDE ABRAÇO E MEUS PARABÉNS PELO SEU BLOG....ADOREI!

    LISA

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.