quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

TAL PAI, TAL FILHO...

Depois de ofender aquele que foi o seu primeiro
amigo e fiel companheiro. O homem desceu do

carro e foi embora. Neste ínterim um menino
franzino, cabelo bem cortado, bem vestido,
atravessou na frente do automóvel que pretendia
sair em disparada fazendo-o parar e, com
lágrimas nos olhos dirigiu-se ao motorista:
- Sr. Não dê às costas aquele homem porque ele
não sabe o que diz. Até bem pouco tempo
ele ele dizia maravilhas do senhor, assim como
dos seus atos. Dê-lhe, eu lhe peço, mais uma
chance para que ele reveja as suas próprias
palavras, retire o que não deveria ter dito e
o abrace com o sorriso da sinceridade como fazia
antes.
Peço-lhe isso, continuou o menino, porque foi
com ele que eu aprendi a gostar do senhor, e a
pessoa que saiu deste carro e para quem eu peço
que uma nova chance seja dada;
é meu pai.

silvioafonso.

2 comentários:

  1. Primeiramente gostaria de agradecer sua visita no meu cantinho no dia do meu aniversário. Vim retribuir a visita e me encantei pelo seu cantinho.
    Muito obg pelo carinho!
    Espero q vc tenha ouvido aquele menino e se ainda não o ouviu, ainda é tempo!
    q o tal homem saiba reconhecer e acolher o verdadeiro amigo mais uma vez!
    Bjão!

    Princes Beauty- Isabela Xavier.

    ResponderExcluir
  2. Cada tanto vengo y paso por tu sitio para verte,leerte y encontrarte entre tus notas.Mas que decirte que tu lugar es placentero de visitar y produce en mi el encanto que se necesita para volver siempre.Te invito a Cuentos y Orquideas y leer algo nuevo,un abrazo para ti,mucha luz y hasta pronto...

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.