sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

SONHO DE UM PALHAÇO.

É na calada da noite que se ergue o mastro, prende a lona, acorrenta na estaca o elefante e de serragem forra-se o picadeiro.
Cobre-se com nuvens coloridas, o céu. Estrelas cintilante do infinito.
O palhaço faz o resto; na cara da criança pinta o melhor do seu sorriso e na dos mais vividos a peraltice dos moleques que insiste vivo em cada um.
Toca a retreta, entra o palhaço em cambalhota enquanto no arame dança a equilibrista, e eu desperto, porque amanhã tem aula e eu preciso catar as pipocas doce do meu quarto.
silvioafonso

4 comentários:

  1. Olá Palhaço Poeta, Silvio! Suas letras me caem muito bem, e ativa meu encefalo no mergulho profundo. Espaço que é uma aroma paixonate pela vida. Escritor extraordinariamente talentoso. E com certeza, pousarei aqui mais vezes.

    Paz,
    Priscila Cáliga

    ResponderExcluir
  2. Sonho que só quem tem alma de criança e alegria de palhaço sabe sonhar.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. É o bom da vida, todos temos descendentes...neh?

    Abçs

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.