terça-feira, 30 de junho de 2009

CONSERVATÓRIA DO MEU AMOR....

Aguço, no final de cada tarde, os olhos, buscando adivinhar
a tua direção. Vejo vultos de mulher que escapam ao dia
para entrar na noite escura dos meus turbulentos pesadelos.
Sinto o acelerar desesperado do meu coração expulsando a
minha alma de romeiro para iniciar a busca à silhueta da tua
presença sempre desejada. Embaça mais e mais o meu campo
de visão, mas o corpo alerta, já sem pressa e sem ruído teme
pela solidão da tua ausência.
O tempo não para, pelo menos para os que, como eu,
acreditam que até ao amanhecer qualquer minuto, qualquer
segundo será uma eterna caminhada.
Eu quero dormir pensando em ti, pretender cobrir o frio do
meu corpo com o esmeralda verde do teu olhar e viajar para
qualquer lugar no infinito embalado no bater suave e doce
do teu coração.
silvioafonso

segunda-feira, 1 de junho de 2009

NUA DE AMOR...

DESNUDA no teu blog estavas tu , cuja imagem eu lambi
com olhos de agonia e o que escrevias quando a net saiu
do ar. Então, sem pressa eu li com zelo e cuidado de
exploração. Sonhei nos devaneios de um poeta. Bebi da
poesia e gozei no senso, sem siso, perdi o endereço do juízo
e num corajoso voyeur, eu me tornei. Vi, ali, a paz se dissipar.
Vi o fogo se alastrar queimando dessa mulher os pecados,
acariciando com a mão de fogo os seios e com a língua o rosto
e do corpo, o resto. Senti um forte apego de desejo, destemido
jazi despido e o nervo, mais sensível, do meu corpo eu agredi.
Sem noção ou razão eu lia o que escrevia enquanto a minha
mão friccionava o nervo ótico fazendo jorrar no ar o sumo do
olho de um homem que vive em função do nome e do
sobrenome; silvioafonso, de Kelly e de Rebecca... Despertei com
o retorno da Internet, molhado de suor e de cansaço para viver
o mesmo dia.
silvioafonso.