segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

LITERALMENTE NA CAMA.

Na Itália eu cochilei por sobre os versos de Petrarca, em
Portugal me deitei com Camões refletido nos meus olhos
e du Bocage me levou à Inglaterra onde namorei aos
sonetos shakespearianos. Andei com pensadores, poetas
e escritores e em sonho eu voltei à terra onde nasci.
Cansado eu fiquei à beça e foi nos braços de Bilac e de
Cecília que eu me vi versando Chico pra cantar Caymme.
Relendo Machado eu o fiz em alta voz e de joelhos eu rezei
Fernando, Sabino e Pessoa na literatura brasileira.

silvioafonso

20 comentários:

  1. oi amigo, obrigada por visitar meu cantinho..tenha uma semana feliz!!

    ResponderExcluir
  2. Para ler essas maravilhas achou o melhor lugar.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pela visita no meu Blog gostei muito do que tu escreveu no comentário, sempre que puder apareça pois, será sempre bem vindo.

    Abraços e uma excelente quarta-feira.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Silvio!

    Adorei passear nesse barco. Você, como bom timoneiro, me conduziu por paisagens de sonhos em seus textos.
    Não conheço nada de barco nem do mar, voltarei mais vezes para aprender.

    Um lindo dia pra ti.

    um forte abraço, de sua nova amiga

    ResponderExcluir
  5. Tomei a liberdade de ancorar seu barco no meu cais assim posso acompanhar suas viagens. kkkkk

    bj

    ResponderExcluir
  6. Ainda me lembro de vc embora as vezes pense q vc nem lembra mais de mim....
    Pra mim vc é o Machado de Assis do meu tempo!!!!!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  7. dizem que todo nefelibata é poeta,mas nem todos os poetas são nefelibatas.
    talvez,você não seja um total nefelibata,mas é um poeta dos bons!
    abraços da amiga do masini

    ResponderExcluir
  8. .


    ...AMORE...
    Eu cruzei os seus caminhos, como passo em outros em busca de uma sombra e um pouco de água fresca. Mas na sua estrada eu tive mais. Vi pessoas falando entre si de coisas que gostavam. Vi carinho e uma enorme esperança por dias melhores e mais bonitos.

    Codinome Beija-Flor...
    Qualquer lugar é bom quando se vê com os olhos que você expia.

    Luciana...
    Poucos vêem com bons olhos, como você me viu. Uma visita, quando inesperada e estranha, não é vista de bom grado e os olhos olham com mais astúcia.

    Uma aprendiz...
    Velejo no revolto dos grandes mares e nem sempre eu levo comigo pessoas que falam do que eu gosto ou sentem do mesmo jeito. Tem momentos em que a companhia faz claro o torvo das profundezas onde Netuno dita as ordens, mas não espera por mim.

    Princess Beauty...
    Já eu não esqueço os amigos. Eu os tenho comigo, no meu peito, mesmo que Assis não tivesse a ferramenta da verde devastação.
    Adorei a lembrança...

    Kátia...
    Muito prazer em tê-la comigo.
    Quanto ao homem que sonha e por isso compõe versos e diz prosa, por favor, não me compare. Quisera eu viver nas nuvens, como você não acha que não sou capaz. Viveria, mas sucumbiria no tempo, porque a minha loucura me prende na rocha, na terra aonde brincam as crianças e as andorinhas fazem os seus ninhos.

    silvioafonso.


    .

    ResponderExcluir
  9. Tá um luxo só as ilustrações das fotos.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. na verdade você conseguiu o mais difícil,
    equilíbrio entre real e imaginário.
    pitada certa no mundo de condimentos de tantos sabores.
    abraços

    ResponderExcluir
  11. obrigado pelo seu comentario dizendo que tinha saudades minhas. Neste momento estou a atravessr um perido pessimo na minha vida por isso estou mais ausente.
    Gostei desta sua passagem pelospoetas. So nao sei quem sao "Fernando e Saabibino". O resto conheco e gosto muito.
    SO me faltaram 2 que adoro: Mario de Sa Carneiro e Florbela Espanca.
    Se nao conhece (mas tenho a certeza de que conhece) leia ou releia.
    Tb Sofia de Mello Breyner e uma das minha preferidas.
    Um abrcao Palhaco Poeta e fique bem
    Zica

    ResponderExcluir
  12. ...com certeza sentiu-se
    enturmado em todas estas
    paragens.

    poetas entendem poetas.

    saudades de vir aqui...

    muahhhhhh

    ResponderExcluir
  13. vou apenas ratificar tuas palavras,enfim, o poeta deve e pode brincar com as palavras.escrevo apenas pra descarregar meus impulsos...nunca me preocupo muito com as regras da língua portuguesa,apesar de isto ser muito importante nos meus estudos,por você acabei descobrindo que escrevendo, acabo exercitando de modo mais prazeroso.
    ou seja: voltarei a escrever os meus devaneios,assim estudo e descarrego meus "eus" um pouco a cada dia.
    abraços e obrigada pelo incentivo

    ResponderExcluir
  14. Ah, que título sugstivo, hehehe
    Como eu queria estar na minha caminha, agora, dormindo, ao invés de estar estudando... nha...
    Abração!

    ResponderExcluir
  15. .


    Codinome beija-Flor...
    Um luxo na casa onde não se tem os pés, mas
    as sandálias são indispensáveis, mesmo que
    para os que chegam e os que ficam.

    Kátia...
    Sem o sal a gosto ou com sal à beça
    se faz um prato. Com uma digital se
    faz a foto, do bem ou do mal; o que
    conta é a intenção da arte.

    Zica Cabral...
    Dos Fernandos, ainda, retumbam na minha
    alma a sensibilidade dos seus versos.
    Fernando Sabino ou Fernando Pessoa, não
    importa qual Fernando se o gostoso de sua
    poesia tem o cheiro da manhã de primavera,
    na praia contando as ondas.

    Vivian...
    Um tatu cheira o outro, dizia o palhaço poeta.
    Eu não agrupo os amigos, mas seleciono do
    grupo os que valorizam esta amizade. Palhaços
    ou poetas eu os quero e a eles eu devoto a
    minha lágrima e o meu sorriso.

    Kátia...
    Sonhos, devaneios, português escrito ou falado.
    Nada faz sentido se não é sentido. Sonhar é bingo,
    é loteria, é sorte. Ninguém escreve senão lê. Ninguém
    fala senão ouve. Diga tudo e não esconda nada. Não
    tenha vergonha ou se engrandeça, mas busque a paz
    do seu eu com você e vá à festa sem a necessidade da
    volta.

    silvioafonso



    .

    ResponderExcluir
  16. Olá meu amigo!
    vc. realmente é um poeta...
    O poeta dos sonhos,onde ao entrarmos em sua casa, as realidades se perdem diante da riqueza de suas palavras.
    Adorei seu blog, vc. é muito iluminado em palavras e em sonhos.
    Um beijinho doce de sua nova amiga.
    Regina Coeli.

    uma semana abençoada por Deus.
    fique na paz.
    OBS:
    Continues assim meu amigo.
    Caminhe com confiança e ousadia...
    Há uma mão lá em cima, que o ajudará a avançar.

    ResponderExcluir
  17. A palavra mágica
    dorme na sombra
    de um livro raro.
    Como desencantá-la?
    É a senha da vida
    a senha do mundo.
    Vou procurá-la.
    Vou procurá-la a vida inteira
    no mundo todo.
    Se tarda o encontro, se não a encontro,
    não desanimo,
    procuro sempre.
    Procuro sempre, e minha procura
    ficará sendo
    minha palavra.

    Carlos Drummond

    Lindo domingo!
    abraços

    ResponderExcluir
  18. Ao passar por Portugal,e avançando no tempo Camões, leve os olhos ás letras de Pedro Abrunhosa! Lindas!

    ResponderExcluir
  19. Olá meu estimado amigo!
    obrigado por sua visita ao meu cantinho.
    espero que tenhas gostado e voltes.
    Uma semana abençoada por Deus.
    fique na paz.

    Beijinhos doce.
    Sua nova amiga.

    Regina Coeli

    ResponderExcluir
  20. Tom...
    Ter a cama junto as tuas costas
    não é privilégio só teu.
    Winston Shurchill escrevia os
    seus discursos deitado em sua
    cama. Certa vez um vento
    maldoso soprou para longe as
    suas palavras e nem por isso
    ele não se levantou para
    buscá-las; simplesmente escreveu
    tudo, outra vez.

    Deusa Odoyá (Regina Coeli)...
    Agradecer com lágrimas, com
    gestos, um olhar, não Seria o
    suficiente. Agradecer com um
    poema, uma canção ou um
    sorriso, talvez fosse alguma coisa,
    mas não o suficiente.
    Agradecer com um pôr-do-sol
    no final do dia. Um arco-íris
    depois da chuva ou com a
    chegada de um basco depois
    da tempestade, sim...
    Aí, seria feita a reverência
    aos deuses, à natureza,
    ao céu e ao mar, a terra e
    a você.

    Sonia Schmorantz...
    Cante Drumoond, diga Cecília,
    exalte Florbela e grite
    Cassandra, mas não cale com
    ouvidos surdos a prosa de
    Lispector-Clarice- dos meus
    tempos de menino e dos
    sonhos de rapaz.

    Flor de Sal...
    Pedro cantava, Momento, ao
    piano e Camões, segundo a tua
    observação, lambia os versos do
    artista embalado no seu cantar.
    Eu atravessaria os mares, quantos
    fossem, se houvessem mais de
    um e menos de mil; para ler
    Camões? Não, eu já li 200 de
    sua criação sem deixar a praia,
    princesinha do mar, do mar de
    Copacabana; se é que no Brasil
    tem mar... Porém, não cessaria
    os meus passos até ouvir
    Abrunhosa dizer; Algarve,
    Balada De Gisberta, entre
    outras tantas do poeta letrista,
    músico e cantor.

    Deusa Odoyá...
    Nova amiga, amiga doce ou
    doce amizade. Quanta ternura
    tem tuas palavras, quantas dizes,
    quantas saram as feridas que a
    vida magoa na minha alma.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.