quinta-feira, 23 de agosto de 2007

DE NIETZSCHE EU SÓ NÃO QUERO A DOR...


Eu não quero me iludir, eu não sou assim.
Deixo a companhia de meus amigos e retorno ao simples
de minha vida.
Não penso como Einstein, Chaplin, Freud, Picasso, Buda,
Marx, Nietzsche, Gandhi, Da Vinci, Darwin, Maquiavel e Jung.
Eu tenho outros sonhos e a filosofia, a política, a ciência, as
artes, a economia, o humanismo, a religião, a psicanálise, a
antropologia e muitos outros segmentos do conhecimento
humano não importam para mim. Como eu disse, eu quero
retornar ao simples. Preciso expiar as minhas faltas e
desenvolver o amadurecimento de minha alma. Penso em cada
amigo e não quero como eles ser o máximo em coisa alguma.
Eu quero não ser nada, mas em todas as coisas, simultaneamente.
Eu os amo e os estudo, mas não tenho a pretensão de melhorar
em uma determinada situação, mas em ser razoável em cada
um dos passos que já dei.
Quero sair, conversar, falar de cada coisa, sem pretender dar aula
de nada. Sem ter comigo a última palavra, mas ser compreendido,
receber um sorriso e ter a minha ausência reclamada.
Enfim eu quero ser eu mesmo, com os defeitos de sempre, os
desejos costumeiros e melhorando em cada causa, mas sem pressa,
paulatinamente, como devagar vai o meu tempo sem mim.

silvioafonso

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.