quarta-feira, 4 de julho de 2007

GRAFITEIRO...






Receava grafitar seu muro e pensava que nele, só
os arquétipos tinham os seus porquês e se atreviam.
Tinha medo que a minha arte, na cátedra dos seus
amigos, não passasse de uma pichação sem sentido
e me constrangesse. Mas a minha admiração pelo
lírico, pelo belo e a gramática me prenderam. Sem
o senso do escárnio, atrevi-me a dizer que a minha
humilde observação não tem sentido frente à sua
encantadora presença e tão lindas palavras.
Obrigado por me ouvir, obrigado por me olhar e
assim curvo-me e reverencio a tão encantadora mulher.

silvioafonso

Um comentário:

  1. Célio César Santana6 de julho de 2007 09:11

    Não é igual nem diferente, é interessante.
    Abraços,
    CCs.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.