segunda-feira, 2 de julho de 2007

Detesto afirmar, mas eu falo de mim, do meu coração e um
fundo musical iria muito bem ou melhor, vai muito bem.
Afora isso eu não ouço o eco do meu grito.
Que deserto é esse, onde eu prego e minha voz se confunde

no vento, nos cactos e nas areias?
Para tudo o que eu gosto você me dá a senha. Eu amo esse

presente, mas quero não ter que clicar para saber de você.
Fale comigo, vá à passarela e desfile à minha vaidade, dê um
sorriso ou me traga uma flor. Mostre esse verde olhar, esqueça
dos outros ambiciosos olhares e faça isso só para mim.

silvioafonso

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.