sábado, 30 de junho de 2007

O CANTO DO COLIBRI...

Você é doce quanto à flor aos olhos do colibri. Eu a possuí
em diferentes estações, mas não morri com a sua ausência.
Compensei a sua falta na colméia de outro ser. O doce era
bom e o alimento até melhor. Mas lá eu não vi a cor das
suas pétalas e senti o macio das sua mãos. Emagreci, quase
morri. Não voei para ver o dia e não dormi por não saber da
noite. Eu queria e precisava de algo mais. Eu fui educado a
ter você. Eu precisava dos seus trêmulos lábios bem próximos
dos meus. Já não tinha a seda de sua pele e o brilho forte dos
seus olhos refletindo a sua luz nos meus. Eu não soube mais das
coisas. Porém não esqueci do perfume que me enfeitiça e da
música de sua voz que me faz sonhar nesses jardins onde eu
sustento a minha vida.

silvioafonso

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.