sábado, 23 de junho de 2007

MEU DEUS!

Caralho, como eu queria estar contigo, minha pequena. Eu ouvi
o que dizias quando no meu colo, cansada e sem saber de ti, tu
falaste de tudo, de todos e choraste. Eu não disse nada, mas
solucei nas tuas lágrimas e verguei o meu corpo no teu cansaço;
só não dormi, pra cuidar de ti. Sei o suficiente para ficar como

ficam as raposas ao ouvirem, longe, o latido dos cães dos
caçadores. Eu sei da tua resistência aos golpes que a vida te dá e
se tu me procuras é porque um golpe mais forte em ti foi desferido.
Conte comigo, se quiseres eu ligo, mas me deixe sofrer contigo a
tua dor, que também é minha. Quero permanecer em tua vida
quando a porta se fechar na saída do teu último amigo.

silvioafonso

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.