sábado, 23 de junho de 2007

ME SOLTE QUE EU QUERO VOAR...

Esses vêm e vão, mexem e remexem.
Esses lambem assopram e ressopram cansam as pernas e

deixam doída a boca. Eu quero olhos para me expiar, quero
boca para dizer o meu nome, colo para o meu espírito e
entendimento para os meus devaneios. Quero beijos para os
que chegaram e não souberam ficar e adeus para os que
pensam que se foram, mas nunca aqui, comigo estiveram.
Antes que eu enlouqueça, desço desse monte onde os meus
desejos eu gritei e não ouvi, de volta, o eco da minha voz. Vou
atirar-me nesse precipício num vôo longo e sozinho porque eu
quero chegar ao mar e lá morar no silêncio de netuno e das
sereias.

silvioafonso

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.