sábado, 30 de junho de 2007

Cruz-credo!
Nem me deixou fazer perguntas para ficar sofrendo a espera
das respostas.
De qualquer forma você me mostrou a mulher forte que é,
mas eu gostaria que fosse frágil e dependente. Que eu pudesse
oferecer um copo dágua ou fazer o seu jantar.
Que eu pudesse adormecer você nos meus braços e beijar a sua
testa aguçando os seus desejos.
Adoraria vê-la perder o juízo na certeza que eu dominaria as
suas investidas e manteria a sua mão, sempre presa a minha.
Mas você foi muito má e não me deixou chance de pensar em
tomar você pra mim.
Você acho que a minha esperança seria o derrubar de sua casa e
o sofrimento de sua gente.
Eu mereço a felicidade que busco, mas não sei o que fazer num
caso desses, onde só eu luto contra todos os leões que eu não
matei nos meus dia-a-dias.

silvioafonso

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.