sábado, 23 de junho de 2007

CHUVA FRIA...

A chuva cessa o açoite e deixa fria e triste a noite.
Abandono, molhado, o penedo desse abrigo onde eu
aquecia a alma e deixei molhar o corpo.
Volto à estrada, antes empoeirada e agora avergoada

de enxurros escondendo o perigo dos barrancos e
caminho em busca do amor que deixei no monte.
Desvaneço com o êxito desse intento, revejo o riso e o

morteiro olhar da moça que mexeu e deu pra mim o
caminho que eu pintei.

silvioafonso

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.